Lute Conosco na Prevenção da Violência e Abuso Infantil

Palhoça - SC
37
doador(es)

R$ 4.217,00
23,43% alcançado da meta de
R$ 18.000,00

 


 

Campanha Encerrada

 


 


 

Recompensas

  • Carregue o CADI no Bolso

    Doações de R$100 a R$300 

    Chaveiro Customizado do CADI

    R$ 100,00
    4 doadores
  • Carregue o CADI no Bolso e Tome Café com o CADI

    Doações de R$ 350 a R$500

    Chaveiro Customizado + Caneca Customizada do CADI

    R$ 350,00
    1 doadores
  • Carregue o CADI no Bolso+Tome Café com o CADI+Leve CADI para o Trabalho

    Doações de R$ 550,00 a R$ 1.000,00

    Chaveiro Customizado+Caneca Customizado+Agenda Customizada

    R$ 550,00
    0 doadores
  • Carregue o CADI no Bolso+Tome Café com o CADI+Leve CADI para o Trabalho e Vista essa Camisa

    Doações acima de R$ 1.000,00           

    Chaveiro Customizado+Caneca Customizado+Agenda Customizada+Camiseta Customizada

     

    R$ 1.000,00
    0 doadores

Lute Conosco na Prevenção da Violência e Abuso Infantil

Doe Qualquer Valor Aqui >>>https://goosc.org/donate.php?for=91

Os Números da Violência Infantil e adolescente no Brasil

A Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos realizou, em 2016 uma pesquisa chocante…

...dos 355.030 atendimentos, 133.061 (37,4%) foram referidos ao registro de denúncias de violações de direitos humanos.

OU seja: mais de 1 em CADA 3 dos atendimentos foram denúncias envolvendo crianças.

Seguem as estatísticas.

  • Disque 100: 122.959 denúncias

  • Ouvidoria Online: 6.964 denúncias

  • Clique 100: 584 denúncias

  • Departamento de Ouvidoria: 1277

  • Aplicativo: 1277 – Proteja Brasil

Média de 364 denúncias/dia e 265.429 encaminhamentos aos órgãos da rede de proteção integral de direitos humanos e ao sistema de justiça.

Infelizmente os dados gerados a partir do registro de denúncias na Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos não refletem a violência, mas sim o quantitativo de denúncias registradas;

A triste realidade pode ser resumida em: a onde você estiver andando, pode apostar, que tem uma criança “embaixo do seu nariz” abusada.

Esta é a notícia ruim.

Agora, uma notícia boa!

O Cadi palhoça tem um projeto para ajudar…

Projeto de Prevenção a Violência e Abuso Sexual Infantil!

O objetivo do projeto é sensibilizar crianças, famílias e a comunidade acerca da temática da violência através da metodologia Claves, que é um programa que tem como proposta de trabalho a promoção de bons tratos e prevenção dos maus tratos e da violência sexual na infância e na adolescência.

Atuando a partir de três áreas de trabalho:

  • Capacitação e oficinas

  • Elaboração de recursos didáticos

  • Campanhas de sensibilização pública e protagonismo infanto-juvenil

A partir de uma abordagem lúdica e participativa promove o desenvolvimento de fatores de fortalecimento pessoal, familiar e comunitário. As metodologias são usadas no enfrentamento da violência a partir de iniciativas de prevenção realizadas junto à própria criança e adolescente, suas famílias e comunidades.

Diante disto entende-se que o efeito destas ações fará com que os direitos das crianças e adolescentes sejam conhecidos, com a intenção de trazer o assunto a tona além disto o projeto propõe:

  1.  Fortalecer o protagonismo infanto-juvenil em relação ao sistema de garantia dos direitos da criança e do adolescente;

  2.  Promover a valorização da criança e do adolescente e suas potencialidades;

  3.  Fortalecer o relacionamento da família e da comunidade com os equipamentos públicos que compõem o sistema de garantia dos direitos da criança e do adolescente;

  4.  Sensibilizar/conscientizar a sociedade em prol dos Direitos da Criança e do Adolescente.

O público alvo são crianças e adolescentes com idade entre 04 e 17 anos, em situação de vulnerabilidade/risco social e pessoal, que fazem parte do programa de atendimento do CADI.

Clique Aqui Para Apoiar o Projeto e Fazer Sua doação

Sua Doação é Importante Porque...

Sua doação será aplicada de forma a potencializar ações, projetos e programas voltados à prevenção e proteção de crianças e adolescentes frente a violência em que estão expostas no contexto de vulnerabilidade em que vivem.

Através de oficinas educativas com atividades cognitivas, com foco em gerar à criança e adolescente ferramentas de defesa, sabendo assim identificar e comunicar as violências sofridas dentro e fora de casa.

Trazer essa conversa a comunidade, criando canais abertos de comunicação, para que não só saibam se defender, mas que possam denunciar ações e assim se realizar intervenção, acabando  com sofrimento silencioso que muitas crianças e adolescentes vivem diariamente.

Possibilitar o auxílio de profissionais capacitados para lidar com crianças e adolescente que já tenham sofrido esse tipo de ataque.

Diante do problema da violência os recursos serão distribuídos para que as crianças, adolescentes suas famílias e demais atores de proteção sejam capacitados, e ferramentados para lidar com questões da violência, e se colocarem frente ao problema em defesa da criança e do adolescente.

O CADI Palhoça –

Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral-Palhoça é uma organização cristã humanitária, sem fins lucrativos. Desenvolve e articula programas, projetos e ações focados no desenvolvimento de comunidades em situação de vulnerabilidade social.  

O público alvo são crianças, adolescentes, suas famílias e sua comunidade. Definimos que projetos e ações cujo eixo de intervenção contemple: educação, saúde, infraestrutura, acompanhamento familiar, projetos especiais e advocacy podem, através de sua relevância, gerar o desenvolvimento comunitário.

NOSSA MISSÃO

Prestar assistência, promovendo o acesso aos direitos e facilitar o desenvolvimento integral de pessoas e famílias em contextos de vulnerabilidade social, gerando transformação.

Hoje atendemos 283 crianças em diversos projetos socioeducativos e de formação cidadã, cerca de

Violência Infantil e Adolescente.

Não é nenhum segredo para você, nem para ninguém, que a violência revela-se, atualmente, como um fenômeno que se dissemina no meio social, em suas variadas formas, atingindo um número expressivo de pessoas, sem distinção de sexo, raça/etnia, condição sócio-econômica, religião ou idade.

Infelizmente, são as crianças e os adolescentes as vítimas mais freqüentes das expressões da violência, isso justificado, pela fragilidade desses sujeitos. Convivemos diariamente com muitos relatos de meninos e meninas que são, cotidianamente, submetidos às mais diversas e dolorosas manifestações de violência – física, psíquica e emocional – em todo o cenário do mundo.

No Brasil, ainda que amparados por um Estatuto próprio, afirmando em seu artigo 5º que:

“Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais” (BRASIL, 1990, p.02), e, dessa forma, caracterizando como sujeitos de direitos, cidadãos, pessoas em desenvolvimento e por isso prioridade absoluta, o fato é que crianças e adolescente são cotidianamente submetidos às mais variadas expressões da violência, refletindo aspectos históricos, culturais, estruturais e conjunturais.

Assim, infelizmente, crianças e adolescentes são vitimados todos os dias pelas condições sócio-econômicas apresentadas em nossa conjuntura atual, ou, ainda, vitimizados nas relações interpessoais – onde prevalece o abuso de poder do adulto sobre estes sujeitos, podendo ocorrer independentemente da situação sócio-econômica vivida.

A violência, independentemente do âmbito onde ocorra, traz graves danos à vida de quem a sofre, refletindo nas relações sociais cotidianas e, principalmente, no aspecto subjetivo dos indivíduos, possibilitando, muitas vezes, a perpetuação dos atos violentos.

Enquanto expressão da questão social, as diversas manifestações da violência têm exigido ações que vislumbrem não apenas a intervenção nos casos denunciados, mas, principalmente, ações que afirmem a prevenção da problemática – em suas dimensões primária, secundária e terciária...

...dentro da nova proposta de atenção a crianças e adolescentes, afirma-se a necessidade de criar estratégias de enfrentamento do fenômeno a partir da consideração de suas particularidades na realidade local. Isso se torna possível através da formação de REDES SOCIAIS.

A construção de rede de atendimento mostra-se como “[...] alternativa necessária de enfrentamento das manifestações da exclusão social”. A rede sugere a idéia de articulação, conexão, vínculo, ações complementares, relações horizontais entre os parceiros, interdependência de serviços para garantir a integralidade da atenção aos segmentos sociais vulneráveis ou em situação de risco social ou pessoal.

Na área da infância e da adolescência, a rede representa o “[...] conjunto integrado de instituições governamentais, não governamentais e informais, ações, informações, profissionais, serviços e programas que priorizem o atendimento integral à criança e adolescente na realidade local de forma descentralizada e participativa.

Sendo assim, tendo como objeto de ação a prevenção da violência contra crianças e adolescentes, a ser abordado através de diferentes ações junto aos profissionais que compõem a rede de atenção, junto aos pais/responsáveis e às próprias crianças e adolescentes.

Comunidade de Atuação do CADI - Frei Damião

O município de Palhoça-SC, tem uma população estimada, segundo dados do IBGE 2010 de 137.334 mil habitantes, deste total 39.414 são de crianças e adolescentes entre 0 a 17 anos de idade. O município teve um crescimento populacional nos últimos 10 anos de 33,67%. Considerando que 28,69 % da população de Palhoça é formada por crianças e adolescentes, 48,8% da comunidade do Frei Damião possui menos de 20 anos e da necessidade de espaços voltados ao atendimento deste público, e ainda considerando o Estatuto da Criança e do Adolescente, que diz:

“A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais”.

Diante disso, o CADI pretende implantar o projeto Lute Conosco na Prevenção da Violência e Abuso Infantil, com objetivo de atuar de forma responsável como sociedade civil organizada, no que diz respeito ao atendimento à criança e ao adolescente. E para tanto, agregar no projeto um conjunto de ações de caráter preventivo, que trabalhe temas amplos que afetam diretamente a experiência da infância e adolescência, tais como: princípios e valores de cidadania, fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, prevenção ao uso de drogas, sexualidade, perspectiva de futuro, mobilização da comunidade em relação aos direitos da criança e adolescente.

Diante das informações contidas neste projeto, valida-se e afirma-se a relevância de ações como as propostas pelo Projeto de Prevenção a Violência e Abuso Infantil.

 

37
doador(es)

R$ 4.217,00
23,43% alcançado da meta de
R$ 18.000,00

 


 

Campanha Encerrada

 


 


 

Recompensas

  • Carregue o CADI no Bolso

    Doações de R$100 a R$300 

    Chaveiro Customizado do CADI

    R$ 100,00
    4 doadores
  • Carregue o CADI no Bolso e Tome Café com o CADI

    Doações de R$ 350 a R$500

    Chaveiro Customizado + Caneca Customizada do CADI

    R$ 350,00
    1 doadores
  • Carregue o CADI no Bolso+Tome Café com o CADI+Leve CADI para o Trabalho

    Doações de R$ 550,00 a R$ 1.000,00

    Chaveiro Customizado+Caneca Customizado+Agenda Customizada

    R$ 550,00
    0 doadores
  • Carregue o CADI no Bolso+Tome Café com o CADI+Leve CADI para o Trabalho e Vista essa Camisa

    Doações acima de R$ 1.000,00           

    Chaveiro Customizado+Caneca Customizado+Agenda Customizada+Camiseta Customizada

     

    R$ 1.000,00
    0 doadores